A Copa da história.

A Copa da história.

30 de dezembro de 2019 0 Por Jogando Com Elas

(Foto: FIFA)

 

O Jogando com Elas traz uma retrospectiva dos melhores momentos da Copa do Mundo Feminina de 2019.

A Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019 pode ser considerada a mais importante da história. O Mundial, que aconteceu na França entre 7 de junho e 7 de julho, contou com 24 seleções, e teve 52 partidas com 146 gols marcados. A Campeã foi a seleção americana, que comemorou o seu quarto título (1991, 1999, 2015 e 2019) – o segundo consecutivo. 

A quebra de recordes, como os de público e audiência, trouxe discussões importantes sobre a desvalorização da categoria no Brasil e no mundo, além de grandes discursos referentes à luta por igualdade de gênero, como a forte expressão de Marta e Megan Rapinoe, que através de suas falas e importâncias, buscaram chamar a atenção para novas mudanças na categoria. 

E claro, o que não faltou foram lances bonitos, gols, goleadas, prêmios, festas de torcidas e muito mais. Na Copa da representatividade, do bom futebol e da luta, o Jogando com Elas traz uma breve retrospectiva do Mundial que deixou saudades. Confira: 

 

Recorde de público

Antes mesmo da bola rolar, a Copa do Mundo da França já era histórica. Faltando 50 dias para o início dos jogos, a FIFA divulgou a venda de 720 mil ingressos, quantidade que já era considerada recorde para mundiais da categoria. Na lista das partidas que tiveram uma alta procura dos torcedores estão: a estréia entre França e Coreia do Sul, os jogos das semifinais e a grande final.

(Foto: FIFA)

 

Recorde de audiência nas transmissões dos jogos

Outro fato que marcou esta edição do Mundial foi que, pela primeira vez na história, houve transmissões de jogos específicos em tv aberta, como os da seleção brasileira. Além disso, canais de tv por assinatura fizeram a cobertura de a grande maioria das partidas do torneio. Com uma iniciativas até então inéditas, a Copa bateu recordes de audiência no Brasil e pelo mundo. 

 

Estreia Brasileira e Show de Cristiane 

O Brasil estreou contra a seleção jamaicana em uma manhã de domingo (9/06). Durante a partida, assuntos relacionados ao jogo tomaram conta dos Trending Topics do Twitter. O destaque do jogo foi o Hat-Trick de Cristiane, dando a vitória para seleção Canarinho por 3 a 0. O jogo também foi televisionado, por mais de um canal, para todo o país. 

(Foto: FIFA)

 

“Go Equal”

Devido a uma lesão, que a quase tirou do Mundial, Marta estreou na Copa somente no segundo jogo da Seleção, contra a Austrália. Consigo, além de todo o talento e representatividade, uma mensagem de igualdade de gênero no futebol estampada na sua chuteira sem patrocínio. Marta marcou um gol de pênalti e apontou para o símbolo da chuteira que faz parte da campanha “Go Equal”.

(Foto: FIFA)

 

Marta: A maior artilheira da história das copas

Novamente o protagonismo e Marta lado a lado. A camisa 10 da seleção brasileira, ao marcar o gol da vitória contra a Itália, ainda na fase de grupos, se tornou a maior artilheira da história das Copas do Mundo entre homens e mulheres. Com 17 gols, da  rainha do futebol ultrapassou o alemão Mirolasv Klose e assumiu o trono. 

(Foto: FIFA)

 

Despedida da Formiga

Seguindo no ritmo “histórico” da seleção brasileira, Formiga, que disputou todas as outras sete edições de Copa do Mundo, anunciou que a edição deste ano será a última de sua carreira.  A volante de 41 anos, que atualmente veste a camisa do PSG, detém o recorde de maior participações em Mundiais (oito no total), algo que dificilmente será alcançado por outro jogador ou jogadora. 

(Foto: FIFA)

 

Goleada histórica

Em sua primeira partida na Copa do Mundo Feminina de 2019, a campeã quebrou recorde. A seleção dos Estados Unidos venceu a Tailândia por 13 a 0, registrando a maior goleada da história dos mundiais. Naquele duelo, ocorrido no dia 11 de junho, Alex Morgan (5x), Rose Lavelle  (2x), Sam Mewis (2x), Megan Rapinoe, Lindsey Horan, Mallory Pugh e Carli Lloyd fizeram os gols da vitória norte-americana. 

(Foto: FIFA)

 

Final da Copa e bicampeonato

A Seleção Americana se mostrou favorita desde o primeiro jogo. E esse favoritismo foi confirmado diante da Holanda, na final da Copa. Com todos os holofotes voltados para a decisão, as americanas, com gols de Lavelle e Megan Rapinoe, venceram por 2 a 0 e levaram o tetracampeonato mundial. 

(Foto: FIFA)

 

Melhor do mundo 

Campeã do mundo, a americana Megan Rapinoe levou para casa, além da taça, a chuteira de ouro, por ter sido a artilheira com seis gols marcados, e a bola de ouro, já que fostes escolhida a melhor jogadora da competição. Aos 34 anos, e toda a qualidade dentro das quatro linhas, a meio-campista também foi extremamente influente fora do campo, ao pedir engajamento do futebol contra o racismo e homofobia e também igualdade de oportunidades, cobrando melhores salários, premiações e condições de trabalho para as jogadoras. 

(Foto: FIFA)

 

Fair play, luva de ouro e gol mais bonito 

Encerrando as premiações, a Copa do Mundo ainda premiou a França com o troféu de Fair Play, pela melhor conduta esportiva ao longo das partidas. Já a luva de ouro foi dada para Sari van Veenendaal, devido às suas grandes atuações e defesas, ajudando a seleção holandesa a ficar com vice-campeonato mundial. Por fim, o Brasil: Cristiane, com gol feito diante da Austrália, em partida válida pela fase de grupos.  

Essa com certeza foi a Copa das Copas e o desejo que fica é para que a próxima seja ainda mais importante, valorizada e melhor.