A importância de Rapinoe dentro e fora de campo.

A importância de Rapinoe dentro e fora de campo.

25 de setembro de 2019 0 Por Jogando Com Elas

(Foto: FIFA)

 

Conheça um pouco mais da história da nova Melhor do Mundo.

 

Todo mundo sabe da qualidade de Megan Rapinoe dentro das quatro linhas, mas a sua importância vai além das conquistas dentro de campo. A sua luta pelo crescimento e valorização do cenário sempre está presente, seja nos discursos ou nas suas ações diárias. Por isso, o Jogando Com Elas fez um resumo da carreira da nova Melhor do Mundo. Confira!

 

The Best

O reconhecimento! Depois de uma temporada magnífica, Rapinoe foi eleita, pela primeira vez, entre as três finalistas para concorrer ao prêmio de Melhor Jogadora do Mundo. Junto com ela, estavam a sua companheira de Seleção, Alex Morgan, e a zagueira britânica Lucy Bronze. Mas não teve jeito. Com 46 pontos, o troféu ficou com Megan Rapinoe, coroando a Copa do Mundo perfeita da Seleção Americana.

Melhor do Mundo

(Foto: FIFA)

 

Mundial 2019

Aos 34 anos, Rapinoe vive o seu melhor momento na carreira. Campeã pelos Estados Unidos na França, terminando a competição como uma das artilheiras, além de ter sido a melhor jogadora do torneio. Além das conquistas, a americana também terminou o Mundial como um dos ícones do movimento “Equal Pay”, que cobra mais oportunidades e pagamentos melhores para a modalidade.

Futebol

(Foto: FIFA)

 

Luta pela Modalidade

Rapinoe nunca foi de se esconder. Sempre que possível, a atleta se posiciona e cobra melhorias para o cenário do futebol feminino. No seu discurso logo após a conquista do The Best, não foi diferente: “Se realmente queremos mudanças, precisamos de todo mundo se posicionando contra o racismo, contra a homofobia, pela igualdade de pagamentos. Temos grandes oportunidades, temos grande sucesso, uma grande plataforma. Temos a oportunidade de usar esse jogo lindo para realmente mudar esse mundo para melhor. Temos um poder incrível nesta sala”, disse a meia, cobrando engajamento da comunidade envolvida com o futebol.

Outro fato que esteve bastante na mídia envolvendo a jogadora, foi a polêmica com o atual presidente americano, Donald Trump. Durante a disputa da Copa do Mundo, Rapinoe afirmou que não iria a “p**** da Casa Branca” caso conquistasse o título. Essa declaração não demorou para chegar aos ouvidos do presidente, que respondeu: “Eu sou um grande fã da seleção americana, e do futebol feminino, mas Megan deve vencer primeiro e depois falar. Termine o trabalho. Não convidamos ainda Megan e a seleção, mas agora eu estou convidando a seleção, ganhando ou perdendo”, declarou Trump em seu Twitter.

Após o título dos Estados Unidos se confirmar, o convite oficial de Washington não chegou, e a festa americana foi em Nova York.

Trump

(Foto: Bruce Bennett / Getty Images)

 

Agora, a torcida é para que o discurso de Rapinoe seja ouvido e, daqui pra frente, haja mais investimento, valorização e apoio ao futebol feminino!