Futebol feminino: o descaso dos clubes e federações.

Futebol feminino: o descaso dos clubes e federações.

16 de dezembro de 2018 Off Por Jogando Com Elas

Em meio a tantas dificuldades para cobrir o futebol feminino no Brasil, o site Jogando Com Elas demonstra sua opinião sobre tal fato frente aos clubes e federações que cuidam desta categoria.

Não é de hoje que as mulheres gostam e praticam o esporte mais popular do mundo, o futebol. E apesar de todas as dificuldades, preconceitos e demais problemas que cercam a modalidade para elas, as mesmas seguem em busca de seu tão sonhado objetivo: serem reconhecidas pelo seu trabalho neste esporte, assim como os homens são. Contudo, infelizmente, o futebol feminino segue caminhando em passos curtos, muito pela falta de apoio de quem deveria ser o mais engajado possível para mudar a atual situação.

Mesmo tendo a melhor jogadora de futebol feminino de todos os tempos, Marta, eleita seis vezes a melhor do mundo, o Brasil trata com total amadorismo a categoria. Seja pela qualidade, estrutura e/ou salário, o futebol feminino brasileiro está muitos degraus atrás de países como França, Dinamarca, Estados Unidos, entre outros. A valorização da categoria nestes outros países encanta muitas mulheres, que mesmo jovens e com pouca experiência, se arriscam para alcançar o sonho de ser jogadora de futebol.

Contudo, não somente as jogadoras, treinadoras e demais profissionais que atuam neste âmbito feminino, mas torcedores e também quem busca cobrir jogos e notícias das equipes, sofrem. A falta de conduta esportiva dos clubes e federações, que optam pela grande valorização do futebol masculino e esquecem do feminino, dificulta o trabalho de sites na área. Bem como, pouquíssimos veículos renomados de comunicação dão espaço e produzem conteúdos regulares para o acompanhamento de interessados.

 

Clubes

Poucos times do Brasil dão o merecido valor à categoria, tanto para jogadoras, quanto para torcedoras. Ou seja, se engajam, publicam notícias, se interessam e dão suporte para quem deseja fazer parte da equipe ou então, apenas acompanhar. A maioria age como se fosse “obrigado”, não atendendo o mínimo de requisitos para contribuir para a ascensão do futebol feminino. É aquele famoso “fazer por fazer”. Não é apenas criar uma equipe e achar que está tudo bem. Claro, contribui, está possibilitando que muitas mulheres realizem seus sonhos, mas de forma amadora. As equipes precisam se conscientizar e buscar um trabalho correto, com suporte e atenção para as necessidades reais dessas jogadoras, assim como se disponibilizar, produzir conteúdos e contribuir para uma maior visibilidade de sua equipe feminina, assessorando de forma eficaz a imprensa que deseja cobrir a modalidade.

 

Federações

Responsáveis pela criação, manutenção e qualidade de campeonatos de futebol, as federações são peças importantes nessa busca por melhorias. Contudo, se já há problemas no masculino, no feminino estes mesmos problemas e até outros, são muito maiores. Má estruturação de campeonatos, além de serem poucos, falta de capricho com a categoria, e quase nada de suporte para a imprensa, são alguns dos principais fatores negativos dessas organizações. Para quem cobre, não há informações e quando são disponibilizadas, ou já estão velhas, ou incompletas. Não há uma regularidade e nem qualidade de conteúdos para assessorar a imprensa como um todo. Além disso, o fato de ser uma categoria amadora, já se torna errado. O futebol feminino precisa ser profissionalizado e logo, tanto para o bem das equipes e jogadoras, quanto para veículos que cobrem e torcedores.

 

O Jogando Com Elas está na luta para tornar o futebol feminino melhor. Quer e busca acompanhar os jogos, notícias e fatos que ocorrem na categoria para disponibilizar da melhor maneira possível conteúdos à seus leitores. E, por isso, deseja que os clubes, assim como as federações, se unam para tornar cada vez melhor este cenário.