Inter faz 2 a 1 no Grêmio em Cachoerinha, levanta taça do Gauchão e mantém hegemonia no clássico Gre-Nal

Inter faz 2 a 1 no Grêmio em Cachoerinha, levanta taça do Gauchão e mantém hegemonia no clássico Gre-Nal

20 de dezembro de 2020 0 Por Jogando Com Elas

(Foto: Reprodução / @ColoradasGurias)

 

As coloradas venceram por 2 a 1.

 

Bicampeãs: pelo segundo ano consecutivo, as Gurias Coloradas venceram as arquirrivais gremistas na final do Campeonato Gaúcho 2020 e sagraram-se campeãs. Desta vez, a vitória foi por 2 a 1, em partida única realizada neste domingo (20), na Arena Cruzeiro, em Cachoeirinha-RS, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Djeni Becker e Byanca Brasil, para o Inter, e Pri Back, para o Grêmio, balançaram as redes no clássico.

No calor do verão gaúcho, em uma partida que começou às 10h da manhã, a decisão do Gauchão começou com ritmo elevado, digno de uma final, digno de um Gre-Nal. Logo aos 2 minutos, Juliana aproveitou vacilo da zaga gremista e, com o Colorado marcando em cima, recebeu a bola na entrada da área. Dali, obrigou a goleira Lorena a fazer grande defesa, no que poderia ter sido o primeiro gol do Inter. Já aos 9, Shashá roubou a bola na intermediária de ataque e partiu em direção à meta do Grêmio. De fora da área, ajeitou e finalizou colocado, no ângulo, mas Lorena voltou a trabalhar e operou um milagre para evitar o gol das Gurias Coloradas.

Aos 20, o primeiro lance de perigo tricolor. Gisseli fez grande jogada pela ala esquerda e cruzou para a área colorada. Lá, a goleira Kemelli afastou mal e a bola acabou sobrando para Marta, que fugiu da marcação e escorou para Eudimilla, com o gol vazio. A camisa 8 finalizou, mas Naná salvou o Inter. Aos 27, finalmente, foi inaugurado o marcador. Depois de ótima jogada pelo lado direito, Rafa Travalão cruzou milimetricamente na cabeça de Djeni Becker. A meio-campista colorada, de dentro da pequena área gremista, só teve o trabalho de desviar para o fundo das redes e sair para o abraço. As Gurias Coloradas iam colocando uma mão na taça.

(Foto: Reprodução / @ColoradasGurias)

Aos 40 minutos, foi armada uma confusão, típica do maior clássico do Brasil. Gisseli ia, novamente, fazendo jogada perigosa pela esquerda. Djeni, na intenção de parar a jogada, puxou a jovem jogadora gremista, que se irritou com a marcação mais ríspida. Com o clima tenso de uma decisão contra o maior rival, jogadores dos dois times se desentenderam, mas o alvoroço foi rapidamente dissipado, com apenas a autora do único gol até aquele momento sendo amarelada. A falta, que ficou de plano de fundo, acabou não levando perigo à meta colorada. E com o 1 a 0 para o Inter no placar, as duas equipes foram aos vestiários da Arena Cruzeiro.

A segunda etapa prometia bastante, já que o primeiro tempo já havia sido bastante disputado. Prometia e cumpriu. Logo aos 3 minutos, Eudimilla recebeu pela esquerda e invadiu a área para finalizar, mas a bola se perdeu pela linha de fundo. Aos 7, Naná fez jogada pela esquerda e tentou a finalização, fraca, mas a bola quicou no morrinho na frente de Lorena e quase surpreendeu a goleira gremista, que precisou fazer a defesa e contar com a ajuda da trave. No oitavo minuto da segunda metade de jogo, Julia acionou Byanca Brasil pela esquerda. A artilheira colorada entrou na área e tentou a finalização, mas foi travada pela zagueira Andressa. Byanca não desistiu, seguiu com a bola e fintou a goleira Lorena, ficando com o gol livre para finalizar com força e ampliar a vantagem das atuais campeãs.

(Foto: Reprodução / @ColoradasGurias)

Aos 17, Eudimilla suspendeu na área e encontrou Ju Oliveira, no segundo poste, que desviou de cabeça para marcar o gol gremista, mas Naná, em cima da linha, salvou o Internacional. Aos 34 minutos, Juliana ia carregando pela direita até que viu Bruninha dentro da área gremista e tentou o cruzamento. A jovem colorada finalizou muito bem, de primeira, mas a bola passou tirando tinta da trave. Já aos 39, Eudimilla – sempre ela – ia fazendo jogadaça individual para o time do Grêmio. Quando invadiu a área, foi derrubada por Djeni, e o juiz Leandro Vuaden apontou a marca da cal. De perna direita, a camisa 7 gremista, Pri Back, finalizou colocado, no canto esquerdo de Kemelli, que nem apareceu na foto, diminuindo para as tricolores. O Imortal bem que tentou, mas não teve jeito: 2 a 1 e Inter bicampeão gaúcho.

Para coroar o ano

Depois de ficarem no meio do caminho, mais precisamente nas quartas de final, Inter e Grêmio tiveram os últimos meses de 2020 para focar no Gauchão. “A gente sabe da grande campanha que a gente fez no Brasileiro e, para coroar nosso trabalho no ano todo e tudo que a gente passou, a gente tinha que vencer esse Gaúcho. E conseguimos vencer”, comemora Byanca Brasil, uma das referências técnicas coloradas, artilheira do certame regional com 6 gols.

“Durante o ano inteiro, o Inter foi uma equipe que valorizou o conjunto e isso coroa um ano de um conjunto muito forte”, celebra Maurício Salgado, técnico colorado campeão gaúcho pelo segundo ano seguido.

 

Hegemonia colorada

Com a conquista, o Internacional chegou ao 8º* título do Campeonato Gaúcho feminino, sendo o maior campeão estadual. Desde a reativação do futebol feminino na dupla Gre-Nal, em 2017, foram quatro finais decididas com o clássico. O Grêmio só levou a melhor em 2018, quando, depois de dois empates (0 a 0 e 1 a 1), o Tricolor levantou a taça em pleno Beira-Rio, em decisão nas penalidades. O Inter, por sua vez, além deste ano de 2020, ainda soltou o grito de campeão em 2017, depois de uma vitória para cada lado e triunfo nos pênaltis, novamente no Gigante, e 2019, após goleada por 4 a 2 em final única, em Ijuí, no noroeste gaúcho.

Também tendo como ponto de partida o ano de retomada da modalidade nos dois clubes, o histórico geral dos clássicos também pende para o lado vermelho. Foram 10 encontros, entre competições nacionais e regionais, com 5 vitórias coloradas, 4 empates e apenas 1 vitória tricolor. As Gurias Coloradas balançaram as redes em 20 oportunidades, enquanto as Gurias Gremistas fizeram 8 gols.

*Os números são contados desde o Campeonato Gaúcho de 1997. Não há um consenso entre os números exatos, por falta de documentação. Alguns pesquisadores indicam que essa contagem possa, inclusive, bater na marca de 13 títulos.

 

Campanha das campeãs

Brasil de Farroupilha 0 x 5 Internacional;
Internacional 23 x 0 João Emílio;
Internacional 2 x 1 Grêmio.

 

Campanha das vice-campeãs

Estrela/Lajeadense 0 x 11 Grêmio;
Grêmio
12 x 0 Oriente;
Internacional 2 x 1 Grêmio.